Palmilhas

A dor nos pés é extremamente comum, sua prevalência exata é desconhecida, mas estima-se variar de 38-85 % de mulheres ( aumento com idade), que vão desenvolver condições dolorosas o suficiente para procurarem ajuda. Avaliar esses sintomas pode ser bastante difícil, já que um autor listou 49 diferentes diagnósticos que podem causar dor, só no calcanhar !

Ao se examinar um paciente com queixa de dor nos pés é essencial olha-lo desde o quadril, até os pés, e as relações entre as partes, tanto em estática, quanto em dinâmica, tanto posteriormente quanto anteriormente e lateralmente, incluindo amplitude articular das articulações dos membros inferiores.

Cada paciente precisa ser visto individualmente, mas algumas recomendações gerais aplicam-se a muitos pacientes com dor nos pés, como usar saltos baixos, alongar tendão do calcâneo (Aquiles), treino para músculos intrínsecos dos pés, perda de peso, etc. Os sapatos modernos deixaram de ter função protetora mecânica e térmica, tornaram-se  objetos de moda e com tal danificam os pés. O pé descalço é livre para se mover em todas as direções, o calçado tem menos propriocepção e movimentos. A literatura mostra que corredores descalços tem menos lesões. A escolha do calçado pode criar futuros problemas, especialmente em mulheres.

A escolha do material das palmilhas também colabora na adesão do paciente ao seu uso, se muito espessas ou pesadas vai trazer problemas dentro do calçado comum e portanto será rejeitada. Deve-se fazer o possível para que a palmilha possa ser inserida no calçado diário da pessoa. Seu material deve ser compatível com o peso da pessoa e permitir fácil higiene. O técnico para confeccionar a palmilha deve levar em consideração, além da anatomia, quais os problemas mecânicos a pessoa tem, e o impacto que a doença tem sobre ela. A escolha adequada dos elementos corretivos, que farão parte desta palmilha vão contribuir para dar o conforto desejado, uma vez que é esse o objetivo das palmilhas, elas não corrigem deformidades, mas sim promovem acomodação e conforto, não corrigem deformidades. Portanto é preferível que seu uso seja no tempo em que as deformidades estão se iniciando, e estão ainda flexíveis, quando existem deformidade fixas seu efeito é bem menor, e o nível funcional do paciente pode estar comprometido .

O clínico precisa estar familiarizado com a anatomia, biomecânica e patologia dos membros inferiores, para poder agir no momento certo da indicação e o paciente ter a oportunidade de obter o melhor resultados com o uso das palmilhas.

Temos a satisfação em avisar que nossa Parceira/Fisioterapeuta Dra. Leda Magalhães de Oliveira estará nesta sexta-feira 08/03/2013 no programa  da Rede Globo.

 

http://globotv.globo.com/rede-globo/bem-estar/v/palmilhas-podem-corrigir-as-deformidades-dos-pes/2373458/

O tema a ser  discutido no programa Bem Estar da Globo segue abaixo:

A atividade física é essencial para a saúde das pessoas. É considerado atividade física todos movimentos que acarretem um gasto de energia. Através disso é que nosso coração, pulmões, articulações e musculatura se mantém saudáveis. Quando nos movimentamos pouco esses sistemas vão se atrofiando e tornam-se menos eficientes, fazendo com que nossa saúde sofra. Portanto o uso eficiente e correto do nosso corpo nos mantém saudáveis.

Mas nem todos nós, durante a vida usamos bem nossos recurso, então o que fazer quando sentimos algumas dificuldades na nossa vida diária ?

Há estratégias que nos permitem evitar certos riscos, e manter a segurança nos deslocamentos.

 

Leda Magalhães de Oliveira

Fisioterapeuta formada pela USP

Especialização em Reumatologia

Mestrado em Ciências da Saúde

Fisioterapeuta da disciplina de Reumatologia da UNIFESP

Professora no curso de Fisioterapia da FMU

ADIJON Clinica e Escola Rua São Samuel, 191

(11) 5081-4051